O MEU CHOCOLATE É BEAN TO BAR | Chocolata

O MEU CHOCOLATE É BEAN TO BAR

Chocolates finos, chocolates bean to bar, chocolates de origem, chocolate premium…Todos esses nomes fazem parte do vocabulário de quem procura por um chocolate de alta qualidade. Mas por vezes escolher um bom chocolate não é tarefa fácil, os detalhes são tantos que até para os especialistas causa confusão.

Uma das mais desafiadoras e intrigantes é saber, por exemplo, se seu chocolate é ou não é bean to bar. E como identificar?

As informações que são colocadas no rótulo de alimentos devem atender as normativas das leis brasileiras, respeitando as diretrizes e normas estabelecidas. Adjetivos e classificações são regulamentados e devem atender a essas leis, que no Brasil para o chocolate são estabelecidas pela Anvisa.

As leis, em geral, partem do pressuposto que nenhuma informação deve confundir ou levar o consumidor ao erro, devido a uma informação que não seja clara, ou comprovada cientificamente. Ocorre que por vezes, os órgãos reguladores são muito lentos, e informações que são desejo do consumidor saber, não foram ainda tradas e classificadas para poder estar impresso nos rótulos. E esse é o caso do chocolate bean to bar.

A classificação do que é um chocolate bean to bar, não está presente na nossa legislação e, a princípio, não é uma informação regulamentada para estar presente nos rótulos. Por isso, frequentemente mesmo fabricantes que sabemos que produzem o seu chocolate partindo do cacau, não trazem essa informação em suas barras.

Mas então o que é o chocolate bean to bar?

Alguns autores já trataram desse tema em artigos, blogs e livros, segundo a autora do blog Chocolatras Online – @chocolatrasonline, Zélia Frangioni.

Bean to bar é o chocolate feito desde os grãos de cacau até a barra de chocolate pela mesma empresa.
A maioria dos chocolates que a gente conhece não é feita assim. Eles são feitos a partir de liquor (ou massa) de cacau, que são os grãos (ou amêndoas de cacau) já torrados, descascados e moídos, ou de um chocolate pronto que é derretido, re-temperado e re-moldado.”

Essa é uma abordagem simplista que aponta apenas o processamento do produto. Porém o assunto não para aí, isso porque até mesmo entre os produtores (chocolate makers) e pesquisadores da área, não há um consenso em como classificá-lo. Com isso o assunto ainda não foi discutido nas pautas do governo, para ser legislado e por consequência as receber as normativas adequadas para ser rotulado.  O que é muito normal, discussões e dúvidas como essa são comuns quando falamos de inovações e um mercado em formação, como é o caso do chocolate bean to bar, será necessário um tempo maior, para que possamos ter maior compreensão e definição dessa categoria de chocolates.

Mas e aí como fazer para saber se seu chocolate é ou não bean to bar?

Em geral, os fabricantes desses chocolates são muito orgulhosos de seu trabalho, e irão encontrar um jeitinho de contar para você que são eles mesmo que compram o cacau, que se dedicam em todas as etapas de seu processamento, fazendo o processo do seu chocolate do grão a barra. E mesmo, talvez ainda, sem chamá-lo de “bean to bar”, pode ser que essa informação esteja na comunicação do site, em um panfleto ou mesmo na parte interna das embalagens. Procurando você vai encontrar!

Texto escrito por Luciana Monteiro, da @ara.cacao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat